Como uma viagem pelo mundo te qualifica e destaca no mercado de trabalho

 

Bobo seria um recrutador que não reconhecesse e destacasse um profissional com tanta experiência prática e habilidades que um viajante desenvolve. Saiba como um ano sabático, pode ajudá-lo a passar (em vez de ficar para trás) a concorrência profissional.

A carreira é uma válida preocupação para quem já pensou em viajar pelo mundo. Se este é seu caso, talvez você pense que essa pausa na vida possa ser, de alguma maneira,  prejudicial para a sua vida profissional. Mas vamos olhar mais fundo esse assunto?

Me diga se um desses pensamentos já lhe passaram pela cabeça:

“Ficarei muito tempo fora do mercado de trabalho e isso não é bom” ou então “Pode demorar muito para me recolocar no mercado de trabalho quando eu voltar”.

E a lista com preocupações similares continua. Mas são muito bem ponderadas, já que viajar por longo prazo não deve ser feito sem um bom planejamento. E pensar que você pode estar perdendo um ano que poderia ser gasto estabelecendo sua carreira e ganhando uma renda, nos faz questionar se, realizar um ano sabático e viajar pelo mundo, é mesmo uma boa ideia.

Porém, o ponto principal é que uma viagem de longo prazo, tem pouca similaridade com viagens de férias, de 2 ou 3 semanas, onde o objetivo principal é descansar, relaxar e curtir, de preferência, com direito a sombra e água fresca.

Uma longa viagem tem muito mais motivos para somar, acrescentar em nossa vida profissional do que subtrair. Impossível viajar pelo mundo e não aprender inúmeras coisas novas. Impossível não desenvolver novas habilidades, descobrir novos gostos e paixões. Demonstra diversas habilidades que recrutadores adoram: flexibilidade, determinação, independência, ambição, disponibilidade de aprender coisas novas, só para citar algumas!

Viu só, como ter uma experiência internacional em seu currículo pode certamente impulsionar sua futura empregabilidade?

E não podemos deixar de citar a questão do idioma. Aproveitar esse período e viajar para um destino onde você possa praticar e desenvolver um idioma, pode por exemplo, te colocar entre os 1% de brasileiros que falam inglês fluentemente.

Embora o inglês seja o idioma mais difundido no mundo, apenas 5% dos brasileiros falam a língua e menos de 1% apresentam algum grau de fluência, segundo aponta pesquisa feita em 2013 pelo British Council, publicada no jornal Gazeta do Povo. Sem contar que, com a motivação da viagem, estudar um idioma na fase de “pré-viagem” fica muito mais leve, pois vemos uma real utilidade para dedicar tempo aos estudos.

Você pode também aproveitar para realizar algum tipo de trabalho no exterior para enriquecer ainda mais sua experiencial e seu currículo. Algumas semanas realizando um voluntariado ou uma troca colaborativa, onde você oferece de poucas horas de atividades por semana em troca de alimentação, acomodação e quem sabe alguns itens extras, são opções mais que vantajosas para se aprender sobre uma cultura, viajar barato e de quebra, agregar valor ao citar a sua viagem no currículo!

Os aprendizados que ganhamos como pessoa, fazem parte do profissional mais preparado que nos tornamos. Uma pessoa melhor, torna-se certamente um profissional melhor, não é mesmo? Mais empáticos, mais tolerantes, consciente de nós, de nossos limites e habilidades, e também do mundo.

Experiências essas, que você nem vai perceber que está acontecendo, pois não há pressão, você não “deve”, “precisa” ou “tem que”. Tudo ocorre de maneira mais natural durante a sua aventura pelo mundo.

Além disso, nesse período de viagem, você tem a oportunidade de experimentar e aprender sobre outros estilos de vida. Diferentes maneiras de se ver e se viver por todo o globo, e nada garante que você, na volta, não vá desejar mudar o seu estilo de vida. Muitas oportunidades aparecem, e você conhece também, diferentes maneiras de se relacionar com o dinheiro, de ganhá-lo e de gastá-lo.

E você já ouviu dizer que gastamos cerca de 70% de nosso tempo no trabalho? Segundo o site ask.com, gastamos em média de 25 à 30 anos de nossas vidas trabalhando. Você terá sempre muito tempo para trabalhar, mas já não podemos dizer o mesmo sobre outros aspectos da sua vida, especialmente realizar seus sonhos e desejos, caso você nunca os priorize.

De qualquer maneira, viajar pelo mundo lhe dará os mais diversos tipos de habilidades importantes, como por exemplo, empatia, organização, orçamento, comunicação, negociação, solução de problemas, qualificações valiosíssimas em seu currículo. E uma vez que você ganha essa experiência, ela fica fantástica no currículo e te coloca em destaque durante um processo seletivo, pois você não só diz eu sou “xwz”, mas consegue provar, ao citar a viagem.

Você também voltará uma pessoa muito mais confiante, e isso é difícil de quantificar, mas você se sentirá diferente, mais capaz, mais à vontade consigo mesmo. Tudo isso brilha através de sua personalidade e fará de você um indivíduo mais acessível, carismático, e claro, empregável.

Essa pausa na carreira, e na vida, é provavelmente uma oportunidade única que você se dá durante a vida. É também um investimento que leva a benefícios futuros em sua vida pessoal e carreira!

 

Se você gostou desse post, inscreva-se logo abaixo para receber mais dicas, reflexões, e outros conteúdos direto em sua caixa de e-mail!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!