É mesmo preciso largar tudo para viajar pelo mundo?

O que você acredita que precisa largar para poder viajar o mundo? Esse entendimento de que é preciso “largar tudo” para só então poder viajar é muito distorcido.

Viajar pelo mundo por longo prazo não requer que você elimine, esqueça ou deixe tudo para trás. Viajar pelo mundo é muito mais sobre construir, expandir, crescer, aprender e transformar-se.

Mas então porque esse sentimento de largar tudo é tão forte? Mas largar tudo o quê mesmo?

Com a insegurança que sentimos ao pensar em partir pelo mundo e viver coisas desconhecidas é difícil ver os benefícios dessa aventura. Os medos falam mais alto e tomar a decisão de fazer aquilo que gostaríamos se torna uma tarefa muito difícil.

Mas com tudo na vida é assim. Sempre que precisamos mudar algo que consideramos importante em nossas vidas, como os relacionamentos, o trabalho, saúde, pinta aquela insegurança e dúvidas do melhor a se fazer.

Não poderia ser diferente com uma grande realização de vida, um grande feito que é viajar pelo mundo. Não há tempo a perder com o que não faz crescer.

Viajar o mundo só acrescenta e soma ao que você já fez em sua vida, agrega a aquilo que você já é, sem eliminar nadinha daquilo que você já viveu.

Largar tudo o quê? vamos avaliar?!

BENS MATERIAIS: casa, apartamento, carro e outras coisas menores…

Se desfazer de algo que conquistamos com grande esforço e muitas vezes através de anos de trabalho traz uma sensação de perda para algumas pessoas. Como se todo aquele esforço fosse rapidamente transformado em algo não tangível, tanto quanto uma casa ou carro.

Bem, alguns itens podem ser de grande valia para lhe possibilitar uma viagem pelo mundo, como por exemplo, vender o carro. Ele pode te levar não mais para o trabalho ou para casa de alguém, ele pode te levar também para muito mais longe…pode lhe possibilitar conhecer o mundo!

Ter mais coisas e bens materiais não significa ser mais feliz, até porque na maior parte dos casos,  a compra de um bem, como eletrônicos, carro ou roupas, gera uma alegria momentânea e é questão de tempo para se desejar algo maior ou melhor e consequentemente mais caro.

Depois de viver e experimentar tantas realidades ao redor do mundo você irá ressignificar o que lhe é realmente importante na vida. O que lhe agrega valor e sentido.

E se for forem coisas materiais, ok, ninguém esta dizendo que você será hippie desapegado do materialismo depois que viajar pelo mundo, somente que suas prioridades na vida podem mudar e o risco de você querer sempre viajar em vez de trocar de carro todos os anos é muito grande!

Coisas podem sempre ser adquiridas em outro momento, mas experiências como essa, nem sempre.

SEU TRABALHO, EMPREGO, PROFISSÃO: Você se imagina fazendo a mesma coisa profissionalmente daqui ha 10 ou 20 anos? Mesmo que seja na mesma profissão certamente não será na mesma empresa.

Com a grande transformação que as profissões vem passando, devido principalmente aos avanços da tecnologia é difícil prever o mercado de trabalho, mas uma coisa é certa segundo o Fórum Econômico Mundial: até 2025, um em cada quatro funções conhecidas hoje deverão ser substituídas por robôs ou softwares. Além disso, aponta-se que 65% das crianças que entram nas escolas hoje trabalharão em funções que atualmente não existem.

E o que tem uma viagem pelo mundo a ver com isso? Como uma viagem pelo mundo pode lhe ajudar profissionalmente?

Ao passo que muitas profissões estão desaparecendo, outras estão surgindo.

Compreender e trabalhar com uma gama diversa de tecnologias demandará a necessidade de pessoas versáteis, ágeis e conectadas. Quem for capaz de inovar e se adaptar, obviamente sairá na frente nesta era de transformação.

Viajar pelo mundo e conhecer outras realidades faz com que você aprenda na pratica e desenvolva muita habilidades úteis na vida profissional, como por exemplo, administração do tempo, planejamento e organização, flexibilidade, adaptabilidade, só para citar algumas!

O seu currículo terá acréscimos de experiência e habilidades que são muito valorizadas por bons recrutadores. Além disso, caso você decida por trabalhar na sua viagem, você conhecerá como as pessoas se relacionam com o trabalho em outros lugares do mundo e isso abrirá sua mente para outras possibilidades.

Ao trabalhar pela primeira vez num restaurante na Nova Zelândia, me senti quase como uma escrava até entender melhor a dinâmica do país e perceber o quão paternalista é o nosso Brasil. Lá não existe nenhum benefício ao trabalhador além do salário, pago semanalmente.

Nada de seguro saúde, desemprego, FGTS, vale alimentação ou transporte, et etc etc. Num segundo emprego temporário descobri que o valor que recebia por trabalhar a noite, das 18:00 as 7:00 da manhã, era o mesmo de quem trabalhava de dia!

E assim funciona na grande maioria dos países desenvolvidos. Aprender na prática sobre essa visão e dinâmica de trabalho é muito enriquecedor para  abrirmos nossa mente para novas possibilidades e formatos de se ganhar dinheiro.

Já imaginou trabalhar por um salário mínimo e se sentir feliz com isso?

E por mais que você se sinta seguro e estável hoje, sabemos que as crises na economia e no mundo são frequentes e faz com que todos precisem se mexer, além de que nada impede de seu sócio, chefe, clientes, mudem de ideia para que tudo precise ser revisto.

FAMÍLIA, AMIGOS, GATO E CACHORRO: Estarão todos no mesmo lugar quando você voltar! Lidar com a saudade faz parte da viagem e hoje com tanta opção que a tecnologia proporciona é muito mais fácil dar aquele boa dia pra família.

Você não tem nada a perder ou a largar para viajar pelo mundo por longo prazo.

Você não precisa largar nada além de seus medos, crenças e tudo aquilo que te impeça de realizar aquilo que você deseja. Trata-se de uma nova etapa, uma nova fase da sua vida e nada impede que ao retornar, você retome tudo de onde parou.

 

Se gostou do post, inscreva-se logo ao lado para receber direto em seu e-mail mais conteúdo para te ajudar a viajar pelo mundo!

 

foto: @Lovelyforliving

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!